IMG 6377 Edit

História

História da Freguesia

ORAGO – São Martinho

São Martinho de Tours nasceu na Hungria (316-397). Era filho de um oficial do exército romano e o pai quis que ele seguisse a carreira de militar. Em 338, durante uma ronda nocturna, encontrou um pobre sem roupa. Dividiu então a sua capa, que repartiu pelo desconhecido. Recebeu o baptismo, em 339 e aos 40 anos fez-se monge. Foi depois eleito Bispo de Tours, em 371 e fundou um mosteiro em Marmontier. O 1º documento sobre S. Martinho de Ferreiros é de 1179.

BRASÂO - No brasão está a explicação do nome da Freguesia. O Brasão é constituído por um escudo verde, um castelo de ouro aberto, lavrado e frestado de negro; em chefe existem duas bigornas de prata, realçadas de negro. Tem, igualmente, uma coroa mural de prata de três torres e um listel branco, com a legenda a negro, em maiúsculas: « FERREIROS – PÓVOA DE LANHOSO.» a Bandeira á amarela, com o cordão e as borlas de ouro e verde. A sua haste e lança são de ouro. O selo tem, de acordo com os termos da lei, a legenda « Junta de Freguesia de Ferreiros – Póvoa de Lanhoso».

FERREIROS – Terra onde há homens que trabalham com ferro.

Ferreiros concelho da Póvoa de Lanhoso e Distrito de Braga. A distância para o concelho é de 7 Km, de Braga é de 11 Km e está a 2,5 Km da nascente do Rio Este.

Ferreiros pertenceu ao concelho de São João de Rei que ficou extinto a 31-12-1953. No séc. II a. c., chegaram a Ferreiros os Romanos com as técnicas de exploração de minas, pedreiras, construções de redes de estradas (em XVII a via romana de Braga a Chaves, feita no ano 12 d. c., passava aqui. As inquirições de 1220, referem que na altura havia 2 paroquias: S. Martinho de Ferreiros e S. Miguel de Ferreiros. Porém, em 1320 as duas aldeias já estavam unidas. No séc. XVI, no Lugar de Ferreiros, existiu uma Ermida, dedicada a S. Miguel e era da Coroa Real. Em 1734, Ferreiros tinha 49 fogos e 74 habitantes; havia aqui perdizes, lebres, coelhos, codornizes e galinholas; produzia-se milhão, centeio, milho branco, painço, trigo, azeite e vinho. Houve uma capela, dedicada a S. Sebastião, na serra, a sul da paróquia. No dia do Santo realizava-se uma grande romaria onde 22 freguesias e o povo trazia cruzes para fazer os seus clamores.

Em 23/03/1846, alguns populares pegaram em espingardas, foices, roçadouras contra o Governo da Costa Cabral (reinado de D. Maria II), o aumento dos impostos, os enterramentos nos cemitérios, começava assim, a revolução do Minho ou da Maria da Fonte. Por altura de 1850 o José do Telhado e os seus homens andavam na Serra do Carvalho a assaltar as pessoas que se deslocavam para Braga e Póvoa de Lanhoso. Em 1872 é rasgada a estrada que liga Braga à Póvoa de Lanhoso. com a implantação da Republica em 1910, o pároco de Ferreiros e alguns monárquicas tiveram de se refugiar na Serra do Carvalho. Foi em 1911 que foi instalada a escola primária. Em 1918 morreram algumas pessoas da Freguesia com o Tifo, a Varíola, a Difteria e a Gripe Pneumónica. Em 1960 toma pose com pároco de Ferreiros, o Padre António Rodrigues do Couto. São eleitos pelo povo os membros da Junta e da Assembleia da Freguesia em 1976.

A gastronomia é a típica da região como Bola com Sardinhas, Arroz Pica no Chão, Rojoada, etc..

Dados Geográficos

Área: 4.88 km²
Habitantes: 439